Caso Antônio Melo: viúva é condenada a mais de 31 anos de prisão

Postado em - 30 de agosto de 2019 - 23:00 - Sem Comentários

Por Daniel Villas-Bôas, da Redação D3 Notícias

Acusada de ser a mandante do atropelamento que no dia 6 de abril de 2014,  vitimou o procurador aposentado e ex-delegado de polícia civil Antônio Melo de Araújo, Anoilza Santos Gama Melo de Araújo, viúva dele, foi condenada a 31 anos e oito meses de prisão.

Durante o julgamento, o júri rejeitou os argumentos da acusação quanto aos demais réus e assim, Gabriel Nogueira de Oliveira e o pai dele, foram absolvidos, respectivamente, pela tese de negativa de autoria e por ausência de provas de materialidade delitiva.

A Sentença foi lida pelo juiz Alício de Oliveira Rocha, que presidiu a sessão do 1º Tribunal do Júri, às 21h desta sexta-feira (30). Ao resultado do julgamento cabe recurso.

Relembre o caso

No dia 6 de abril de 2014, Antônio de Melo Araújo fazia uma caminhada na Avenida Melício Machado, Zona Sul da capital sergipana, quando foi atropelado pelas costas por um carro que invadiu a contramão.

Em agosto do mesmo ano, a polícia concluiu com as investigações que o acidente teria sido premeditado e que a viúva da vítima seria a principal suspeita de ser a mandante do crime. Além dela, de acordo com as investigações, estariam envolvidos o genro da vítima e o pai desse genro.

Deixe seu comentário!

Para: Caso Antônio Melo: viúva é condenada a mais de 31 anos de prisão


As mais visualizadas